Português – Renascimento e Classicismo

Português – Renascimento e Classicismo

Simulado matérias específicas de português com gabarito

Com a intenção de ajudá-lo a se preparar melhor para as provas de Vestibular e Enem, desenvolvemos este Simulado de matéria específica de Português – Renascimento e Classicismo que contém questões específicas sobre os assuntos mais exigidos em Português.
Cada questão contém entre 2 e 5 alternativas. Para cada questão existe apenas uma alternativa correta e não existe nenhuma questão em branco.
Não perca esta oportunidade, faça agora o Português – Renascimento e Classicismo.
Anote sua resposta e confira com o gabarito de Português – Renascimento e Classicismo que está no final.

Boa sorte e bons estudos!

Simulado matérias específicas com gabarito
Português – Renascimento e Classicismo

01. (Vunesp-SP)

Ó tu, que tens de humano o gesto e o peito
(Se de humano é matar uma donzela,
Franca e sem força, só por ter sujeito
O coração a quem soube vencê-la).
A estas criancinhas tem respeito,
Pois o não tens à morte escura dela;
Mova-te a piedade sua e minha,
Pois te não move a culpa que não tinha.

A estância transcrita pertence a Os Lusíadas, de Luís de Camões, e faz parte de um dos mais conhecidos “episódios” daquela obra. Indique-o nas alternativas abaixo assinaladas:

a) Episódio da ilha dos Amores
b) Episódio do Gigante Adamastor
c) Episódio de Inês de Castro
d) Episódio dos Doze de Inglaterra
e) Episódio da Batalha de Aljubarrota

 

02. (Fuvest-SP)

Não mais, Musa, não mais, que a Lira tenho
Destemperada e a voz enrouquecida,
E não do canto, mas de ver que venho
Cantar a gente surda e endurecida.

Os versos acima pertencem a que parte de Os Lusíadas?

a) Proposição
b) Invocação
c) Dedicatória
d) Narração
e) Epílogo

 

03. (Mackenzie-SP) Sobre Os Lusíadas, é incorreto afirmar que:

a) Proposição, invocação, dedicatória e o início da narração aparecem no primeiro canto.
b) seu herói é, na verdade, o próprio povo português.
c) no terceiro canto, Vasco da Gama inicia a narração da História de Portugal ao rei de Melinde.
d) durante a narrativa de um fato histórico, aparece um dos mais belos episódios líricos do poema: o caso de Inês de Castro.
e) no episódio do velho do Restelo, o personagem incentiva os portugueses para que prossigam em suas navegações.

 

04. (Mackenzie-SP)

Cessem do sábio grego e do troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre lusitano,
A quem Netuno e Marte obedeceram.
Cesse tudo que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

A estrofe acima, extraída de Os Lusíadas, faz parte:

a) da invocação
b) da proposição
c) do epílogo
d) da narração
e) da dedicatória

 

05. (Mackenzie-SP) O tom pessimista apresentado por Camões no epílogo de Os Lusíadas aparece em outro momento do poema. Isso acontece no episódio:

a) do velho do Restelo
b) do Gigante Adamastor
c) dos Doze de Inglaterra
d) do Concílio dos Deuses
e) de Inês de Castro

 

06. (Mackenzie-SP)

Transforma-se o amador na cousa amada,
por virtude de muito imaginar;
não tenho, logo, mais que desejar,
pois em mim tenho a parte desejada.

O trecho acima faz parte:

a) de uma auto vicentino
b) da lírica camoniana
c) de uma cantiga de amor
d) de uma crônica de Fernão Lopes
e) de uma cantiga de amigo

 

07. (FESL) Em Os Lusíadas, Camões:

a) narra a viagem de Vasco da Gama às Índias.
b) tem por objetivo criticar a ambição dos navegadores portugueses que abandonam a pátria à mercê dos inimigos para buscar ouro e glória em terras distantes.
c) afasta-se dos modelos clássicos, criando a epopeia lusitana, um gênero inteiramente original na época.
d) lamente que, apesar de ter dominado os mares e descoberto novas terras, Portugal acabe subjugado pela Espanha.
e) tem como objetivo elogiar a bravura dos portugueses e o faz através da narração dos episódios mais valorosos da colonização brasileira.

 

08. (Vunesp-SP) Os paradoxos do sentimento amoroso constituem um dos temas favoritos de sua poesia lírica, exercida sobretudo nos sonetos.

a) De que poeta se trata?
b) Indique um texto do poeta em que este sentimento contraditório se manifesta.

 

09. (Fuvest-SP) Camões escreveu obra épica ou lírica? Justifique sua resposta, exemplificando com obras do autor.

 

10. (Unicamp-SP)

Amor é fogo que arde sem se ver;
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente;
é dor que desatina sem doer.
Camões

Terror de amar num sítio tão frágil como o mundo
Mal de amar neste lugar de imperfeição
Onde tudo nos quebra e emudece
Onde tudo nos mente e separa.
Sophia de Mello Breyner Andresen.

Dos dois textos transcritos, o primeiro é de Luís Vaz de Camões (século XVI) e o segundo é de Sophia de Mello B. Andresen (século XX). Compare-os, discutindo, através de critérios formais e temáticos, aspectos em que ambos se aproximam e aspectos em que ambos se distanciam um do outro.

 

GABARITO do Simulado matérias específicas com gabarito
Português – Renascimento e Classicismo

01: C
02: E
03: E
04: B
05: A
06: B
07: A
08:

a) Luís Vaz de Camões.
b) “Amor é fogo que arde sem se ver”.

 

09:

– Camões escreveu obra épica e lírica. O poema épico Os Lusíadas, publicado em 1572, narra a viagem de Vasco da Gama às Índias e a História de Portugal. Os poemas líricos – sonetos, elegias, cantigas, redondilhas – estão reunidos em Rimas, obra publicada postumamente em 1595.

 

10:

– O texto 1 é clássico e apresenta preocupação formal: os versos são rimados e metrificados; o texto 2 apresenta versos brancos e livres. Ambos se aproximam pela temática amorosa e pelo tratamento dado a ela: abordam o amor como algo contraditório, que causa dor, sofrimento.

 

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us