História – Governo Geral do Brasil I

História – Governo Geral do Brasil I

Com a intenção de ajudá-lo a se preparar melhor para as provas de Vestibular e Enem, desenvolvemos este Simulado de História – Governo Geral do Brasil I que contém questões específicas sobre os assuntos mais exigidos em História.
Cada questão contém entre 2 e 5 alternativas. Para cada questão existe apenas uma alternativa correta e não existe nenhuma questão em branco.
O número de respostas certas do gabarito do  estão no final.

Bons estudos!

01.(UEL-PR) A centralização político-administrativa do Brasil colônia foi concretizada com a:

a) criação do Estado do Brasil
b) instituição do governo-geral
c) transferência da capital para o Rio de Janeiro
d) instalação do sistema das capitanias hereditárias
e) política de descaso do governo português pela atuação predatória dos bandeirantes

 

02. (UEL-PR) A instalação do governo-geral em 1549 contribuiu para que a colonização do Brasil passasse de transitória para efetiva. Havia um forte motivo que alimentava as esperanças dos portugueses: os espanhóis, nas terras vizinhas encontraram o que buscavam. Ao tomar medidas procurando assegurar a posse sobre o vasto território, a Coroa portuguesa estava motivada pelas notícias sobre:

a) o modelo de colonização, dependente da iniciativa privada que se revelava pouco eficaz nos Açores e na Madeira
b) as feitorias que vinham dando provas de eficiência como fortificações sólidas para a defesa da terra
c) as semelhanças das culturas pré-cabralinas do Brasil e pré-colombianas da América Central
d) os negócios da Índia em crescente lucratividade, sem riscos de prejuízos e decepções
e) a descoberta de metais preciosos nas terras altas sul-americanas voltadas para o Pacífico

 

03. (UERJ) O Estado português reproduziu no Brasil duas feições metropolitanas, possibilitando uma permanente tensão entre as forças sociais dos poderes locais e as forças de centralização do absolutismo.
As instituições que exerciam a administração local e central no Brasil colônia eram, respectivamente:

a) vice-reinado e capitania hereditária
b) câmara municipal e governo-geral
c) capitania geral e província
d) cabildo e capitania real

 

04. (Fuvest-SP) Sobre a presença francesa na baía de Guanabara (1557-1560), podemos dizer que foi:

a) apoiada por armadores franceses católicos que procuravam estabelecer no Brasil a agro-indústria açucareira.
b) um desdobramento da política francesa de luta pela liberdade nos mares e assentou-se numa exploração econômica do tipo da feitoria comercial.
c) um protesto organizado pelos nobres franceses huguenotes, descontentes com a Reforma Católica implementada pelo Concílio de Trento.
d) uma alternativa de colonização muito mais avançada do que a portuguesa, porque os huguenotes que para cá vieram eram burgueses ricos.
e) parte de uma política econômica francesa levada a cabo pelo Estado com o intuito de criar companhias de comércio.

 

05. (Fuvest-SP)Eu el-rei D. João III, faço saber a vós, Tomé de Sousa, fidalgo da minha casa que ordenei mandar fazer nas terras do Brasil uma fortaleza e povoação grande na Baía de Todos-os-Santos. (…) Tenho por bem enviar-vos por governador das ditas terras do Brasil.” “Regimento de Tomé de Sousa”, 1549

As determinações do Rei de Portugal estavam relacionadas:

a) à necessidade de colonizar e povoar o Brasil para compensar a perda das demais colônias agrícolas portuguesas do Oriente e da África.
b) aos planos de defesa militar do império português para garantir as rotas comerciais para a Índia, Indonésia, Timor, Japão e China.
c) a um projeto que abrangia conjuntamente a exploração agrícola, a colonização e a defesa do território.
d) aos projetos administrativos da nobreza palaciana visando à criação de fortes e feitorias para atrair missionários e militares ao Brasil.
e) ao plano de inserir o Brasil no processo de colonização escravista semelhante ao desenvolvido na África e no Oriente.

 

06. (PUCCamp-SP) Os governos-gerais foram instituídos como a única solução político administrativa viável para a colonização efetiva do Brasil, na segunda metade do século XVI, porque:

a) a instituição do sistema, em 1548, suprimiu definitivamente a divisão da colônia em capitanias hereditárias.
b) o governo-geral representava a centralização político-administrativa da colônia, que se tornava imperativa, pelo sucesso da maioria das capitanias hereditárias.
c) o risco crescente, criado com a autonomia excessiva das capitanias hereditárias, levou o Estado metropolitano a organizar o governo-geral para substituí-las.
d) o governo centralizado na colônia correspondia melhor à definição absolutista do próprio governo metropolitano.
e) o governo-geral constituía-se, em nível político, como um regime descentralizado e, em nível econômico, como uma grande empresa particular, estando à frente o governador, o único responsável pelo investimento inicial e pelo incentivo à produção.

 

07. (UEL-PR) Durante o período colonial, havia atritos entre os padres jesuítas e os habitantes locais porque os:

a) colonos eram ateus belicosos, e os jesuítas pacíficos católicos.
b) religiosos pretendiam escravizar tanto o negro como o índio, e os colonos lutavam para receber salário dos capitães donatários.
c) colonos desejavam escravizar o negro e os jesuítas se opunham.
d) religiosos preocupavam-se com a integração dos indígenas no mercado de trabalho assalariado, e os colonos queriam escravizá-los.
e) colonos pretendiam escravizar os indígenas, e os padres eram contra, pois queriam aldeá-los em missões.

 

08. (UFRN) A implantação do sistema colonial transformou as relações amistosas existentes entre indígenas e portugueses no início da ocupação do Brasil.
Essa transformação se deveu à:

a) grande inabilidade dos indígenas para a agricultura, recusando-se a trabalhar nas novas plantações açucareiras, atitude que desagradou aos portugueses.
b) crescente ocupação das terras pelos portugueses e à necessidade de mão-de-obra, levando à escravização dos índios, que reagiram aos colonos.
c) importação de negros africanos, cuja mão-de-obra acabou competindo com a dos indígenas, excluindo estes do mercado agrário.
d) introdução de técnicas e instrumentos agrícolas europeus nas aldeias indígenas, desestruturando a economia comunal dos grupos nativos.

 

09. (Unirio-RJ) A colonização brasileira no século XVI foi organizada sob duas formas administrativas, capitanias hereditárias e governo-geral. Assinale a afirmativa que expressa corretamente uma característica desse período.

a) As capitanias, mesmo havendo um processo de exploração econômica em algumas delas, garantiram a presença portuguesa na América, apesar das dificuldades financeiras da Coroa.
b) As capitanias representavam a transposição para as áreas coloniais das estruturas feudais e aristocráticas européias.
c) As capitanias, sendo empreendimentos privados, favoreceram a transferência de colonos europeus, assegurando a mão-de-obra necessária à lavoura.
d) O governo-geral permitiu a direção da Coroa na produção do açúcar, o que assegurou o rápido povoamento do território.
e) O governo-geral extinguiu as donatarias, interrompendo o fluxo de capitais privados para a economia do açúcar.

 

10. (UFRJ)Eu, o rei, faço saber a vós, Tomé de Sousa, fidalgo da minha casa, que vendo quanto serviço de Deus e meu é conservar e enobrecer as capitanias e povoações das Terras do Brasil (…); ordenei ora de mandar nas ditas terra fazer uma fortaleza e povoação grande e forte, em um lugar conveniente, para daí se dar favor e ajuda às outras povoações (…); e por ser informado que a Bahia de Todos os Santos é o lugar mais conveniente da costa do Brasil (…), que na dita Bahia se faça a dita povoação e assento, e para isso vá uma armada com gente (…) e tudo o mais que for necessário. E pela muita confiança que tenho em vós (…) vos enviar por governador às ditas terras do Brasil (…).
(Regimento de Tomé de Sousa, 17 de dezembro de 1548)

A política administrativa do Estado português no início da colonização estruturou-se a partir da adoção do sistema de capitanias hereditárias e, posteriormente, da criação do governo-geral. No entanto, o verdadeiro poder político na colônia encontrava-se nas câmaras municipais, dominadas pelos “homens bons”.

a) Explique uma razão para o sistema de capitanias hereditárias na colonização do Brasil.
b) Apresente dois objetivos da criação do governo-geral pelo Estado português.
c) Cite uma razão da concentração do poder político colonial nas câmaras municipais.

 

GABARITO do Simulado de História – Governo Geral do Brasil I

Resposta 01: B
Resposta 02: E
Resposta 03: B
Resposta 04: B
Resposta 05: C
Resposta 06: D
Resposta 07: E
Resposta 08: B
Resposta 09: A
Resposta 10:
a) O interesse da metrópole em repassar a particulares os gastos com a colonização.

b) Centralizar a administração na colônia, buscar riquezas minerais no interior, coordenar esforços para a defesa do território, desenvolver a construção naval, visitar e fiscalizar as capitanias, estabelecer a política de relação com as comunidades indígenas.

c) O controle exercido pela classe produtora escravista e o isolamento das vilas e seu afastamento dos centros de poder metropolitano.

 

Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us

Vestibular1

O melhor site para o Enem e de Vestibular é o Vestibular1. Revisão de matérias de qualidade e dicas de estudos especiais para você aproveitar o melhor da vida estudantil. Todo apoio que você precisa em um só lugar!